Remoção parcial de tecido cariado em dentes permanentes: seis anos de acompanhamento

Resumo

Objetivos: O objetivo deste estudo foi avaliar a efetividade da remoção parcial de tecido cariado (RPTC) de lesões de cárie profundas e restauração em uma única sessão de forma comparativa ao tratamento expectante (TE) em seis anos de acompanhamento.

Materiais e Métodos: O estudo foi realizado em Porto Alegre e Brasília. A amostra incluiu pacientes com molares permanentes com lesões de cárie profundas (metade interna de dentina), sem lesão periapical ao exame radiográfico, resposta positiva ao teste de frio, negativa à percussão e ausência de dor espontânea. Esses foram randomicamente atribuídos ao grupo teste (RPTC), recebendo remoção incompleta de tecido cariado e restauração em uma sessão, ou controle (TE). Após, os dentes foram restaurados com resina composta ou amálgama. O desfecho avaliado foi vitalidade pulpar (sensibilidade ao teste térmico, sensibilidade à percussão e ausência de alteração periapical). Análises de sobrevivência foram realizadas para estimar as taxas de sucesso do tratamento e definir variáveis associadas, utilizando o modelo de regressão de Weibull. Foram executados 299 tratamentos, sendo 152 RPTC e 147 TE.

Resultados: somente o acompanhamento dos tratamentos realizados em Porto Alegre foi realizado. Após 6 anos, 127 dentes foram avaliados. Foram observadas taxas de sucesso de 60% para RPTC e 32% para TE (p<0,05). Dentre as variáveis analisadas, somente a tipo de tratamento apresentou associação significativa à manutenção da vitalidade pulpar, sendo favorável à RPTC.

Conclusão: RPTC pode ser alternativa viável no tratamento de lesões profundas de cárie, mostrando melhora significativa em relação à manutenção da vitalidade pulpar quando comparado ao TE.


Comentários sobre o estudo

No presente ensaio clínico randomizado os resultados foram favoráveis ao tratamento da RPTC quanto comparado ao grupo controle que recebeu a TE ao longo de 06 anos de acompanhamento. O fator de proteção (OR 0,44 p0,007) favoreceu o grupo teste, ou seja, o paciente submetido ao tratamento de remoção parcial de tecido cariado teve 56% menos chance de insucesso pulpar com relação ao paciente que recebeu o tratamento expectante.

Frente aos resultados mostrados, a técnica da RPTC se mostra um tratamento muito promissor tanto na atenção primária como na rede privada, sendo uma técnica mais simples, de menor tempo clínico, menor custo, número de consultas e preservação da integridade pulpar ao longo do tempo.


Referências

Jardim JJ, Simoneti MND, Maltz M. Partial caries removal in permanent teeth: six-year follow-up, RFO, v. 20, n. 1, p. 39-45, 2015.